Passagens: o blog do Wanderley Geraldi

A Casa do Mundo

           Luiza Neto Jorge

Aquilo que às vezes parece

um sinal no rosto

é a casa do mundo

é um armário poderoso

com tecidos sanguíneos guardados

e a sua tribo de portas sensíveis

 

Cheia a teias eróticas. Arca delirante

arca sobre o cheiro a mar de amar.

 

Mar fresco. Muros romanos. Toda a música.

O corredor lembra uma corda suspensa entre

os Pirenéus, as janelas entre faces gregras.

Janelas que cheiram ao ar de fora

à núpcia do ar com a casa ardente.

 

Luzindo cheguei à porta.

Interrompo os objectos de família, atiro-lhes

a porta.

 

Acendo os interruptores, acendo a interrupção,

as novas paisagens têm cabeça, a luz

é uma pintura clara, mais claramente lembro:

uma porta, um armário, aquela casa.

 

Um espelho verde de face oval

é que parece uma lata de conversvas dilatada

com um tubarão a revirar-se no estômago

no fígado, nos rins, nos tecidos sanguíneos.

 

É a casa do mundo:

desaparece em seguida.

(apud. Osvaldo Manuel Silvestre e Pedro Serra (orgs). Séclo de Ouro. Antologia crítica da poesia portuguesa do Século XX)

 

 

 

 

Seja assinante

Cadastre seu e-mail e não perca nenhuma postagem do blog do Geraldi.
captcha 

Apoio Cultural

Sobre o Autor

wanderley João Wanderley Geraldi não precisa ser apresentado; quem ainda não o conheça, certamente o encontrará em sua formação. Mas é necessário dizer que o que aqui se faz é também consequência de sua militância na Educação em nosso país. É de sua obra paradigmática Portos de passagem, centrada na linguagem mas fundamental para a formação de professores e para o trabalho escolar, que pedimos emprestado o nome do Grupo. E é em sua presença com o blog Passagens que encontramos força e coragem, mas também rigor e coerência para os propósitos que temos. Nosso agradecimento e nossa homenagem a este grande linguista brasileiro.

Desenvolvido e hospedado por

g5559