Passagens: o blog do Wanderley Geraldi

Fiquei uns tempos na Dinamarca. Anualmente ficamos um bom período babando filha, netas e genro. Alugamos apartamento (desta vez um quarto junto a uma casa, compartilhando cozinha e banheiros), vivemos a vida comum: criamos rotinas, andamos de ônibus, atentos ao cotidiano que aparece até nas idas ao supermercado.

Certamente a sociedade dinamarquesa é fechada. Seus costumes são diferentes dos nossos. Por exemplo, ninguém pode se sente superior ao outro; numa sala de aula, se há um grupo que realiza com mais rapidez sua tarefa, não pode o professor lhes dar outra tarefa: isto mostraria que os membros deste grupo é “mais

Por Cristina de Araújo*

Chega um momento em que a atividade mental começa a transbordar para todos os lados, sai dos limites do trabalho e começa a invadir até os encontros com amigos.

Alguns amigos levam a sério essa ebulição de ideias e conduzem para que a efervescência não cesse.

Alexandre Costa é um desses caros amigos que estimulam, interpelam e promovem espaços para que o pensamento circule.  É, então, aquele que propõe destemidamente o diálogo, que é tomado pela catarse e diz: “É preciso escrever!”.

Eis o suficiente para se encontrar novos portos,

A Casa do Mundo

           Luiza Neto Jorge

Aquilo que às vezes parece

um sinal no rosto

é a casa do mundo

é um armário poderoso

com tecidos sanguíneos guardados

e a sua tribo de portas sensíveis

 

Cheia a teias eróticas. Arca delirante

arca sobre o cheiro a mar de amar.

 

Mar fresco. Muros romanos. Toda a música.

O corredor lembra uma corda suspensa entre

os Pirenéus, as janelas entre faces gregras.

Janelas que cheiram ao ar de fora

à núpcia do ar com a casa ardente.

 

Luzindo cheguei à porta.

Interrompo os objectos de família, atiro-lhes

a porta.

 

Acendo

Correspondente no exterior, o jornalista polonês Ryszard Kapuscinski fez reportagens memoráveis, particularmente de guerras no Irã, na Rússia e outros países. Especializou-se em África.

Para além da reportagens destinadas a jornais, ele também trabalhou em textos longos, numa linguagem que o aproxima da literatura, ainda que seus textos continuem jornalísticos. Desta série é Imperium sobre a Rússia. Agora acabo de ler sua longa reportagem sobre a Etiópia, neste O Imperador. Nele o jornalista vasculha os “bastidores do palácio!” nos tempos do imperador Hailé Selassié I,

O texto abaixo, de André Araújo, precisa ser lido por todos nós. Porque traz explicações às explicações que cansamos de ouvir de economistas e as pretensões que cansamos de denunciar de procuradores e juízes bem formados...

Como retornam a países emergentes alunos de Universidades dos EUA?

DOM, 20/08/2017 - 13:19

Foto: Divulgação

Por André Araújo

Comentário à publicação "Xadrez da influência dos EUA no golpe, por Luís Nassif"

A influência americana sobre corações e mentes não se dá por um plano estruturado de

Seja assinante

Cadastre seu e-mail e não perca nenhuma postagem do blog do Geraldi.
captcha 

Apoio Cultural

Sobre o Autor

wanderley João Wanderley Geraldi não precisa ser apresentado; quem ainda não o conheça, certamente o encontrará em sua formação. Mas é necessário dizer que o que aqui se faz é também consequência de sua militância na Educação em nosso país. É de sua obra paradigmática Portos de passagem, centrada na linguagem mas fundamental para a formação de professores e para o trabalho escolar, que pedimos emprestado o nome do Grupo. E é em sua presença com o blog Passagens que encontramos força e coragem, mas também rigor e coerência para os propósitos que temos. Nosso agradecimento e nossa homenagem a este grande linguista brasileiro.

Desenvolvido e hospedado por

g5559