Passagens: o blog do Wanderley Geraldi

 

Nunca choraremos bastante quando vemos 
O gesto criador ser impedido 
Nunca choraremos bastante quando vemos 
Que quem ousa lutar é destruído 
Por troças por insídias por venenos 
E por outras maneiras que sabemos 
Tão sábias tão subtis e tão peritas 
Que nem podem sequer ser bem descritas 

Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'Livro Sexto'

--------

Siga as publicações de Wandeley Geraldi em: https://www.passagensoblogdowanderleygeraldi.com/

Diante dos acontecimentos deste país, com Lula, a maior liderança popular de sua história, sendo preso,

só me resta aderir com atraso à mais absoluta alienação:

Moro num país tropical

Abençoado por Deus

E gigante pela própria natureza

Mas que beleza!

[...]

Não tenho fusca nem violão

A todos, meus pêsames.

É com grande desconforto que comunico aos leitores o falecimento, no Brasil, da Justiça, assassinada pelo sistema judiciário brasileiro. Houve aqueles que tentaram salvá-la quando tudo ia por água abaixo, mas suas forças foram insuficientes. Contra posição de classe e contra a força desta posição, não há argumentos que persuadam muito menos que convençam. Mesmo aquela que sabe que quem não tem poder não pode delegar este poder a outrem, procurou uma tábua de salvação ou de domesticação. Mais ou menos como aquela velha história da ovelha:

Não há nada de novo, então falemos de amenidades.

Só farei antes um recorte rápido e sucinto do julgamento do Sr. Silva, que como todos nós sabemos, nem devia pela ordem natural das coisas ter ido parar no Supremo, e não sou eu que digo, foi mesmo o excelentíssimo Ministro Barroso que disse que aos pobres esse tribunal sempre é negado. Não é por mérito, mas questão de classe. Acrescentarei ainda outro recorte, questão de ordem, como a presidente que outrora franzia a testa para flexibilizações do português, não aceitando a flexão de gênero ao título

Meritíssimas Juízas, Ministras, Desembargadoras...

Meritíssimos Juízes, Ministros, Desembargadores...

 

Com licença. Decidi escrever para vossas excelências por força da necessidade trágica e extrema de alento, por conta do sofrimento dos infindáveis aborrecimentos causados pelas tragédias, que estão tomando conta das vidas dos brasileiros. Com modéstia, confesso e declaro à vossas excelências que a minha sinceridade é verdadeira, por que honesta, ao escrever para os nobres magistrados do Poder Judiciário brasileiro. Confesso, ainda, que as notícias diárias da

Seja assinante

Cadastre seu e-mail e não perca nenhuma postagem do blog do Geraldi.
captcha 

Apoio Cultural

Sobre o Autor

wanderley João Wanderley Geraldi não precisa ser apresentado; quem ainda não o conheça, certamente o encontrará em sua formação. Mas é necessário dizer que o que aqui se faz é também consequência de sua militância na Educação em nosso país. É de sua obra paradigmática Portos de passagem, centrada na linguagem mas fundamental para a formação de professores e para o trabalho escolar, que pedimos emprestado o nome do Grupo. E é em sua presença com o blog Passagens que encontramos força e coragem, mas também rigor e coerência para os propósitos que temos. Nosso agradecimento e nossa homenagem a este grande linguista brasileiro.

Desenvolvido e hospedado por

g5559