Passagens: o blog do Wanderley Geraldi

Depois da escandalosa compra de votos ao custo de 17 bi e do aumento em mais ou menos 500 cargos na administração pública para serem preenchidos por apadrinhados, sabemos todos que os parlamentares brasileiros têm dois interesses profundos: muito dinheiro e a permanência no cargo para obter mais dinheiro ainda... como no sistema dinheiro é poder (não é o poder que produz dinheiro, mas o dinheiro que produz poder), muitos acreditam que se trata de uma luta pelo poder, quando o que se trava no Parlamento do Brasil é uma luta por dinheiro, e dinheiro grosso.

E derrubada a possibilidade de investigação, que querem os

Corruptos absolvem corrupto e corruptor

Por José Kuiava

Quem absolve corrupto, corrupto é. Princípio ético universal irrefutável. Os senadores e deputados “corruptos” absolvem presidente “corrupto”. Na linguagem legítima e verdadeira – de todos – o certo é: senadores e deputados “ladrões” e “bandidos” inocentam e absolvem presidente “ladrão” e “criminoso”. Esta é a linguagem correta. Porém, o bloco hegemônico usa o poder da linguagem ambivalente na construção da imagem do real dado, chamuscando com ouro falso.

Tortura

A pólvora que voa das mãos

Não alcança os sussurros.

No destempero da carne,

A fome desce ao gozo.

Passos na avenida caçam o aprisionado.

Rasteja a embriaguez do bálsamo.

Rendição abaixo do umbigo.

 

Migrante

Nenhuma rua é escura na alma migratória.

A moeda compra a travessia.

Imola a liberdade.

Sementes florescem azaléas.

Enganosa é a sombra: não cabe nenhum.

 

Refugiado

Uma rua e uma fronteira.

Passos alargam o medo e a injustiça.

Invade o conflito e o território.

Enlaça o direito com a morte.

Humano... migratório confinado.

(Marcos Laffin. Cio de

O suíço Friedrich Düerrenmatt constrói nesta novela um enredo mirabolante, de uma aventura trágica, do princípio ao fim, deixando o leitor em suspense acompanhando os passos de F., a fotógrafa cujo objetivo primeiro era compor um retrato global, num conjunto de  fotografias que revelasse o planeta, mas que foi desviada, com sua equipe, para uma tarefa que lhe ‘impõe’ Von Lambert, junto ao túmulo de sua esposa.

Acontece que Von Lambert, desde que recebera a informação de que sua mulher havia sido assassinada, tomara as providências para contratar um helicóptero que conduziu o esquife

Daqui da distante Dinamarca, não estou conseguindo seguir o conselho que me deu minha amiga Maria Emília Caixeta Lima: esquecer o que está acontecendo no país. É bem verdade que estou com dificuldades para me conectar, mesmo estando num país “desenvolvido”.As aspas aqui vão por conta não da realidade estatística da economia dinamarquesa, mas por conta do novo conceito de desenvolvido, que inclui haver uma parcela significativa da população sem emprego e renda, uma meta do neoliberalismo.

Pois entre nós, mais “desenvolvidos” ainda porque jamais tínhamos chegado a um Estado de Bem

Seja assinante

Cadastre seu e-mail e não perca nenhuma postagem do blog do Geraldi.
captcha 

Apoio Cultural

Sobre o Autor

wanderley João Wanderley Geraldi não precisa ser apresentado; quem ainda não o conheça, certamente o encontrará em sua formação. Mas é necessário dizer que o que aqui se faz é também consequência de sua militância na Educação em nosso país. É de sua obra paradigmática Portos de passagem, centrada na linguagem mas fundamental para a formação de professores e para o trabalho escolar, que pedimos emprestado o nome do Grupo. E é em sua presença com o blog Passagens que encontramos força e coragem, mas também rigor e coerência para os propósitos que temos. Nosso agradecimento e nossa homenagem a este grande linguista brasileiro.

Desenvolvido e hospedado por

g5559