Passagens: o blog do Wanderley Geraldi

A cada dia, apesar de todas as adversidades, nas escolas, institutos e universidades públicas são realizadas inúmeras ações que constroem o desenvolvimento do país na ciência, na tecnologia, na inovação, na formação de pessoal, na inclusão social etc..

Entretanto, as universidades públicas têm sido palco de verdadeiros espetáculos em torno de operações policiais desproporcionais. E por que desproporcionais? Porque políticos do mais alto escalão têm sua cara e sua voz estampadas em vergonhosas filmagens que denunciam seus atos de corrupção e,

Canção dos caramujos que vão ao enterro

Ao enterro de uma folha seca

Vão dois caramujos

Têm a concha negra

E véu negro em volta das antenas

Vão pela noite

Uma bela noite de outono

Quando chegam coitados!

Já chegou a primavera

E as folhas que jaziam pelo chão

Todas tinham ressuscitado

os dois caramujos

Ficam muito desapontados

Mas eis o sol

O sol que lhes diz

Façam o favor façam

O favor de sentar 

Tomem um copo de cerveja

Se vontade lhes dá

Tomem caso queiram

O ônibus para Paris

parte esta noite

Poderão admirar a paisagem

Mas não ponham luto

Sou eu quem lhes aconselha

Escurece o branco

Este romance de Gustave Flaubert representa sua passagem do realismo de sua mais conhecida obra, Madame Bovary, para o romantismo. E aqui ao romance de formação (bildungsroman). Seu personagem, Frederico Moreau, aquele se “se educa sentimentalmente” passará por todos os percalços para chegar ao fim sozinho e apaixonado pela beleza que se esvaiu de uma mulher que conduziu seus passos ao longo da vida.

Procedente do interior (Nogent), é matriculado em Sens para estudar. Nesta escola conhece o amigo com que manterá várias rugas, mas para o qual sempre voltará, Deslauriers. Ambos saem da escola de Sens e vão para Paris,

Nota introdutória

Este texto foi escrito para a mesa-redonda “O professor como leitor e como incentivador da leitura”, do 5º. Congresso de Leitura do Brasil (COLE), realizado em 1985. Eu estava, neste tempo, envolvido até à medula com três grandes projetos de ensino de língua materna: um desenvolvido na cidade de Aracaju, desde 1981; outro iniciado no Oeste do Paraná em 1984. No primeiro, já éramos mais ou menos 80 professores da cidade que vinham aplicando a proposta de ensino que havia publicado em 1981 (Cadernos da Fidene, 18). O segundo começou já gigantesco: participaram dos cursos deflagradores do

... para continuarmos a ouvir o silêncio retumbante das universidades brasileiras?

Quantas 'conduções coercitivas' de reitores, vice-reitores e professores serão necessárias

... para continuarmos a ouvir a voz sepulcral das universidades brasileiras?

Quantos atos de força, todos para intimidar e mostrar quem manda, serão necessários

... para continuarmos a ouvir a covardia do "não tenho nada a ver com isso"?

Quantas operações de supostas investigações sigilosas com  coerções espetaculosas serão necessárias

... para continuarmos a receber

Seja assinante

Cadastre seu e-mail e não perca nenhuma postagem do blog do Geraldi.
captcha 

Apoio Cultural

Sobre o Autor

wanderley João Wanderley Geraldi não precisa ser apresentado; quem ainda não o conheça, certamente o encontrará em sua formação. Mas é necessário dizer que o que aqui se faz é também consequência de sua militância na Educação em nosso país. É de sua obra paradigmática Portos de passagem, centrada na linguagem mas fundamental para a formação de professores e para o trabalho escolar, que pedimos emprestado o nome do Grupo. E é em sua presença com o blog Passagens que encontramos força e coragem, mas também rigor e coerência para os propósitos que temos. Nosso agradecimento e nossa homenagem a este grande linguista brasileiro.

Desenvolvido e hospedado por

g5559