Passagens: o blog do Wanderley Geraldi

Replico aqui o post em que o André Luiz Covre me marcou no facebook. "A diferença identifica, a desigualdade deforma: 'A rua, o espaço público, é onde ela não pode estar. E por quê? Porque lá está o outro, o diferente. E ela só pode estar segura entre seus iguais, no lado de dentro dos muros'."

Vejam: "Mãe, onde dormem as pessoas marrons?"

Há necessidade urgente de o FMI abrir uma linha de créditos a empresários profundamente neoliberais, isto é, aqueles que consideram ser obrigação do governo mínimo socorre-los nas crises, como ocorreu naquela que ainda corre, para a construção de câmaras.

Isto porque há um problema mundial que exige, segundo a diretora do FMI, Christine Lagarde, uma "solução final". Desculpem o engano, nos termos da senhora Diretora, uma solução global, porque solução final foi o programa de Hitler contra od judeus quando percebeu que estava a perder a guerra. A solução global

Estou em Portugal, mais precisamente no Porto. E aqui não deixo de folhear livros das bibliotecas da família Cortesão. Falo em bibliotecas porque há livros de Antonio Cortesão, que foi um gramático, de Jaime Cortesão, escritor do grupo Renascença dos começos do Século XX, e da biblioteca de um convento adquirida por Camilo Cortesão Abreu, pai da minha amiga Luiza Cortesão, em cuja casa sou hóspede. O texto abaixo é leitura destas minhas olhadas em velhos livros: 

"Tornar a creança dócil - eis o fim imediato que se propõem entre nós, os educadores quotidianos,

Oslo em obras

Visitando Oslo, encontramos um cidade em obras, algumas já concluídas como o novo e moderníssimo edifio da Ópera. Obviamente o encantamento será sempre com o Vigeland Museum, um museu ao ar livre, um verdadeiro parque com as esculturas do artista.

Impressionante uma característica: edificios públicos estão acessíveis, o que nos permitiu perambular pelo vasto salão onde se entrega o Nobel da Paz. Não só o que está pronto impressiona. São inúmeras as obras em andamento. Investimentos publicos. Recursos? Procedentes da riqueza nacional, de exploração estatal, o

Dentro de alguns anos, os antropólogos poderão debruçar-se sobre o pensamento dos neoliberais tupiniquins, que acreditam tão piamente e estão tão cegamente ideologizados que agem segundo os princípios que sequer a matriz leva em conta. Serão tema em antropologia porque:

1. Nos tempos antigos havia suspensão de batalhas para que cada lado enterrasse seus mortos. E até Hitler enterrou os seus. Mas José Serra, quando prefeito de São Paulo, tentou tornar os sepultamentos um negócio e lançou edital para privatizar os cemitérios municipais... Não houve privatização porque

Seja assinante

Cadastre seu e-mail e não perca nenhuma postagem do blog do Geraldi.
captcha 

Apoio Cultural

Sobre o Autor

wanderley João Wanderley Geraldi não precisa ser apresentado; quem ainda não o conheça, certamente o encontrará em sua formação. Mas é necessário dizer que o que aqui se faz é também consequência de sua militância na Educação em nosso país. É de sua obra paradigmática Portos de passagem, centrada na linguagem mas fundamental para a formação de professores e para o trabalho escolar, que pedimos emprestado o nome do Grupo. E é em sua presença com o blog Passagens que encontramos força e coragem, mas também rigor e coerência para os propósitos que temos. Nosso agradecimento e nossa homenagem a este grande linguista brasileiro.

Desenvolvido e hospedado por

g5559