Plataforma Práxis
Formação Permanente para a Educação Integrada

A Plataforma de Formação Permanente para a Educação Integrada (Plataforma Práxis) foi criada pelo Grupo de Estudos Transdisciplinares e Aplicados à Formação de Educadores (Grupo PORTOS – CNPq/UFG) para oferecer a agentes da educação formal e informal capacitação pública, gratuita e de qualidade. Nossos projetos não se reduzem à mera oferta de formação, mas à própria construção das condições de possibilidade dessa oferta, seja em seu desenho, seja em suas condições materiais e objetivas.

Nossa perspectiva metodológica tem por base o relacionamento dos processos de formação aos contextos reais de atividade dos sujeitos envolvidos e às demandas de seus campos sociais e institucionais. Nesse sentido, todo plano formativo constitui-se de acordo com a negociação de uma agenda ética e colaborativa de pesquisa, planejamento, execução e avaliação.

Saiba mais: http://letras.in2web.com.br/local/staticpage/view.php?page=sobre

 

MAIS EDUCADORES: FORMAÇÃO INTEGRAL, FORTALECIMENTO DA ESCOLA E CIDADANIA  

Este programa de extensão pretende criar condições de multiplicar projetos que multipliquem as formas de relacionamento entre as atividades de ensino, pesquisa e extensão da Universidade Federal de Goiás em parceria com outras instituições do Ensino Superior e da Educação Básica no âmbito do Programa Mais Educação do Ministério da Educação. Está dirigido a acadêmicos e professores de qualquer tipo de graduação e promove o direcionamento de suas horas complementares para as ações de projetos nas escolas, com certificação de até 100 h complementares.

Trata-se de fomentar, constituir e relacionar de modo proativo as demandas recíprocas com seus consequentes benefícios pelo tratamento sinergético das diferentes atividades.

É sabido que o Projeto Mais Educação conta com grande quantidade de recursos materiais, mas sofre com a falta de colaboradores qualificados e compromissados para o gerenciamento de suas atividades.

Em parte, isso ocorre pela sobrecarga dos professores; por outro lado, como se trata de um serviço voluntário (cuja gratificação cobre apenas custos de deslocamento dos bolsistas), não se constitui com atrativo de renda para os alunos universitários.

Por isso, busca-se integrar ações de estagiários, bolsistas do Mais Educação e alunos voluntários (chamados aqui de monitores de apoio), relacionando também ensino, pesquisa e extensão. Pretende-se facilitar a participação dos alunos e ajudá-los a integrar essas ações à sua carreira acadêmica.

O Programa é desenvolvido pela conjugação constante das seguintes instâncias: 1. Estágio Curricular Obrigatório; 2. Programa de Iniciação à Docência (PIBID) 3. Bolsistas do Projeto Mais Educação; 4. Alunos voluntários de cursos de graduação; 5. Outros agentes que já atuam no âmbito escolar.

Sua implantação se dá de modo progressivo, sob a liderança de alunos de licenciatura, que apoiam a integração de colegas aos cursos do Projeto Mais Educação nas escolas, seja na confecção de projetos, seja nos eu acompanhamento, seja no relacionamento com as escolas.

Neste momento, qualquer acadêmico pode participar do projeto “Parecerias de fortalecimento do trabalho escolar e da formação do professor”, cadastrado pela Faculdade de Letras da UFG. No entanto, outros campos acadêmicos podem também propor projetos específicos para seus acadêmicos, sejam da UFG, sejam de outras IES. 

Contato: Prof. Alexandre Costa
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.